quinta-feira, 6 de maio de 2010

BULLYING

Olá a todas

Seguindo a sugestão da Silvana do Interior Adentro, vou trazer um assunto que está em voga no meio pedagógico no momento, mas que sempre existiu na história educacional: o BULLYING. Vou repetir uma parte do texto da Silvana que está muito bom:

"O termo BULLYING compreende todas as formas de atitudes agressivas, intencionais e repetidas, que ocorrem sem motivação evidente, adotadas por um ou mais estudantes contra outro(s), causando dor e angústia, e executadas dentro de uma relação desigual de poder. Portanto, os atos repetidos entre iguais (estudantes) e o desequilíbrio de poder são as características essenciais, que tornam possível a intimidação da vítima.

Por não existir uma palavra na língua portuguesa capaz de expressar todas as situações de BULLYING possíveis, relaciono algumas ações que costumam estar presentes:


Colocar apelidos jocosos
Ofender
Zoar
Gozar
Gongar
Encarnar
Sacanear
Humilhar
Agredir
Bater
Chutar
Empurrar
Ferir
Roubar
Quebrar pertences"


Ela ainda sugere que relatemos episódios de BULLYING que ocorreram com pessoas próximas, conhecidos ou com nós mesmas.
Minha experiência graça a Deus foi menos grave do que aconteceu com ela. Como sempre fui uma das primeiras alunas da sala (cof! cof!), muitas vezes era acusada de ser "baba ovo" dos professores. Em outras, as pessoas se aproximavam apenas pra copiar exercíos e tentar pegar fila (já que eu não dava fila a niguém pois achava errado). A situação mais séria que enfrentei foi um trabalho em grupo em que fiz tudo praticamente sozinha e por fim não colocaram meu nome (vê se pode!). Ainda bem que o professor sabia quem eram as peças...

Também recebi alguns apelidos durante minha vida estudantil. Apenas um deles me acompanhou até o fim do Ensino Médio e como hoje não o considero jocoso, acabei me acostumando (até porque não adiantava pedir pra pararem de me chamar daquele jeito).

Acho que as marcas ruins que ficaram dessa época foi a minha baixa auto-estima e a dificuldade para trabalhar em grupo. Graças a Deus tenho trabalhado essas características para levar a vida numa boa.

Como a Sil falou, temos que ficar ligados em nossos filhos pra perceber se ele muitas vezes é vítima da prática, ou até se ele as pratica com os outros.

Espero que o recado tenha sido dado.

Beijos

3 comentários:

  1. Oi Elaine Querida!

    Nossa, fiquei tão contente com teu apoio ao anti-bullying.

    É importante alertamos o máximo no. de pessoas sobre esse assunto tão grave.

    Muito obrigada pela citação da minha postagem.

    Beijoooo

    ResponderExcluir
  2. Ola,Elaine.
    Aceitei sua oferta para aparecer,rsrs.
    Querida,essa campanha anti-Bullying foi desencadeada pela querida Ana Karla do blog Misturacao(com c cedilha).E importante que se divulgue essa feia pratica que esta acontecendo com uma frequencia cada vez maior nas escolas.E lamentavel que as diretorias nao atentem de pronto para esse fato e muitas deixam correr solto,nao dando o devido apoio a quem esta sendo violado em seu direito como cidadao.Mas nos blogueiras nao vamos deixar esse assunto morrer na praia,vamos divulgar em um maior numero de blogs possiveis e assim conscientizar um maior numero de pessoas.Agradeco seu relato,e muito importante.Grande beijo.zenaide storino.

    ResponderExcluir
  3. minha filha sofreu bullying apanhava na escola de um moleque cansei de reclamar de mandar recado para mâe dele e nada ele passava por mim e ria e dizia minha mãe falou tira ela (minha filha da escola )cansei realmente tirei ela da escola publica e coloquei a na escola particular .

    ResponderExcluir

Podem entrar! A casa é humilde mas feita com muito amor!

Olha isso aqui também...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...