domingo, 2 de abril de 2017

Listas de Limpeza Detalhada

Trouxe para vocês minhas listas de limpeza detalhada por cômodo. A Fly Lady recomenda que antes de iniciarmos as missões, apliquemos essas listas, já que as missões têm por objetivo a manter essa primeira limpeza.

A Fly Lady tem suas listas básicas, mas elas devem ser adaptadas ao seu lar e à sua rotina. Trago aqui minhas listas para que possa servir de inspiração para vocês.

Com relação às missões diárias, você tanto pode seguir o calendário da Fly Lady, como você mesma pode definir suas missões. No meu caso, peguei a lista de limpeza detalhada do cômodo em questão, e destrinchei as tarefas em missões semanais. Para acompanhar, fiz um check list para ir acompanhando as tarefas que vou fazendo ao longo do mês (agora, me pergunta se eu acompanho????). Dessa forma, ao final de um mês, terei feito a limpeza detalhada em cada cômodo, sem perder meus fins de semana com faxina.

Por lógica, a divisão de áreas/cômodos será feita de acordo com suas listas de limpeza detalhada. É muito importante essa personalização, para que o sistema funcione pra você. Eu sempre dizia que eu seguia a “‘filosofia” da Fly Lady, e não o método em si, já que desde que conheci o método, adaptei-o à minha rotina .

Pra terminar, vou deixar de exemplo a divisão atual das minhas Zonas:

Zona 1 - Sala de estar/Jantar e Escritório do Marido
Zona 2 - Cozinha e Área de serviço
Zona 3 - Quarto principal + Banheiro auxiliar
Zona 4 - Quarto da filha e Banheiro principal
Zona 5 - Terraço, meu escritório e arquivo

Qualquer dúvida, deixem aí nos comentários!

sábado, 25 de março de 2017

Gerenciando seu tempo


Revendo a série The Tudors, vi em um dos últimos episódios, quando Henrique VIII conversa com o amigo Charles Brandon – ambos já velhos - sobre as coisas que eles perderam ao longo da vida. Em um dado momento, Henrique diz que virtude e honra são coisas que um homem pode recuperar, mas tempo é algo irrecuperável.

E assim são os tempos de hoje, onde cada vez mais precisamos de tempo: para trabalhar, para estudar, para dormir, comer, cuidar dos que estão sob nossa responsabilidade, e principalmente cuidar de nós mesmos.

Por isso é importante gerenciar bem nosso tempo, seja na vida profissional, seja na vida pessoal. Gerenciar para que tenhamos condições de dar conta do nosso trabalho, da nossa casa, da nossa família, e de nós mesmos.

O sistema Fly Lady nos ajuda a cuidar da casa dia a dis, sem precisar tirar um dia inteiro que deveria ser de descanso/com a família para faxina. Mesmo que você não gaste o dia inteiro, quando terminar a faxina vai está tão cansada, que vai ter pique apenas para dormir, ou ficar jogada no sofá.

Já oo GTD, nos possibilita organizar nossas ações, de modo que tenhamos conhecimento do que precisamos fazer, em que ordem precisamos fazer, nos levando a realmente concluir nossos objetivos, e não definimos uma ação , e descobrirmos depois que não temos o material ou as condições necessárias para a conclusão. No nível mais avançado, o GTD nos ajuda a focarmos apenas nos objetivos que tenham a ver com nossos princípios e com a visão de futuro que queremos ter.

Ultimamente tenho passado menos tempo na internet (um grande “ladrão” de tempo nos dias de hoje), focando nos cuidados com a casa, na atenção à família, e no cuidado comigo mesma – desenvolvendo outros hobbys, voltando a ler e assistir mais filmes/séries. Estou conseguindo criar hábitos que não dei a devida atenção. O resultado disso, é que hoje eu diminuí drasticamente a quantidade de vezes que almoço fora , estou mantendo uma rotina regular de estudo (pouco tempo, mas é o que temos pra hoje), e me dando ao luxo de às vezes não fazer nada, pois sei que está tudo sobre controle.

Bom, o texto é apenas o relato de minha experiência. Para quem quiser saber mais sobre os métodos citados, basta dar uma olhada nos posts mais antigos do blog. Fiquem à vontade pra perguntar!

Até mais!

quinta-feira, 16 de março de 2017

Meu novo eterno amor!

Olá!

Essa semana chegou  mais um planner por aqui:





Trata-se da Filofax Pocket Domino Soft, cor Fawn. Eu sempre gostei do modelo Domino, mas o interior em camurça dos modelos padrão, bem como as cores vibrantes  do modelo Patent, não me agradavam.

A Domino soft é feita em couro sintético, tendo um toque muito gostoso. Chega a ser levemente texturizada, mas bem simples de limpar.



Vou começar a usá-la hoje, depois volto aqui pra falar do que achei!

Até mais!

sexta-feira, 3 de março de 2017

Usando mais de um planner!

Olá a todos!

Espero que tenham tido um ótimo Carnaval, seja descansando, seja na folia. Dois meses passaram, já estamos em março, e agora não tem desculpa: O ano começou!

Uma pergunta que os usuários de planners mais antigos sempre escutam, sejam de recém chegados nesse mundo, seja das pessoas à nossa volta, é: Pra quê tantos planners? Você usa todos?

Quando entramos nesse mundo, são muitas novidades! E a cada ano vão surgindo outras. É natural termos vontade de testar tudo.  Por outro lado, também podemos ter os planners não só como planejador, mas também como coleção. Aí vamos trocando de capa como trocamos de humor, ou simplesmente deixar lá na estante mesmo, como qualquer outra coleção.

Em quase um ano e meio nesse mundo, eu testei vários estilos de planner, fora os argolados: Bullet Journal, Doris, Moleskines, Molang... Desses, os únicos que estou usando são os Dori, e o Bullet Journal , embora em planner argolado.

Meu sistema de organização atual está assim:

Fichário A5 - Planner da casa;
Personal Filofax Original - GTD (Até daria pra colocar no A5, mas organizei no personal para ter mais mobilidade);
Filofax pocket - Planejamento semanal, compras, e  notas gerais - o planner de bolsa, e também minha carteira;
Acraft - Com cadernos de receitas e financeiro

Em uso, só tenho esses mesmos. O pocket, sempre estou alternando entre as capas. O Acraft, caso queira, tenho uma capa Deiadori para alternar. Parece muito? Não acho! Esses planners foram os que mais gostei, e como já os tinha em mãos, decidi aproveitá-los da forma que achei funcional.

E vocês? Quantos planners têm? Para aqueles que tem um, ele consegue te atender bem? Para os que tem mais de um, usa todos ou tem como coleção mesmo?




quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Control Journal


O Control Journal é um termo utilizado pela Fly Lady para o diário de controle da casa. Nele você insere suas rotinas, listas de limpeza, compras e checklists, telefones úteis, dados médicos… Tudo o que é importante registrar e controlar da vida doméstica e familiar.

Ele não é construído do dia pra noite, pois nossa vida está sempre mudando, e o control journal vai mudando com sua família.

Antes de conhecer o mundo dos planners, eu mantinha meu control journal no computador. Na pasta, tinha arquivos das listas de limpeza detalhadas, checklists de manutenção da casa, e dados meu e do meu esposo. Depois que minha filha nasceu, novas seções foram adicionadas, principalmente referentes à informações médicas.

Quando conheci os planners, comecei aos poucos, passar as informações para o papel. Ainda mantenho as pastas no computador, mas apenas como backup.

Não há uma fórmula para se fazer o Control Journal. Você é que vai descobrir o que funciona para sua família. Vou trazer aqui apenas a configuração do meu, e talvez ele sirva de inspiração para você:

Eu uso um fichário A5 da Kalunga. Como a furação é diferente dos A5 padrão de planner, nunca me animei a mudar. Mas você pode usar qualquer planner A5, ou dependendo da quantidade de assuntos que quer gerenciar, fazer até num personal.

No momento tenho essas abas:
- Calendário - Com as visões mensais e compromissos recorrentes
- Casa - Rotinas diárias, listas de limpeza detalhada, wishlist da casa, checklists de viagens, feriados, festas. Lista de compras, e de ingredientes mais utilizados.
- Informações médicas - Resumo das consultas, acompanhamento de medicações, pontos para próximas consultas, telefones e endereços dos médicos, dias que atendem etc…
- Carro - Resumos das revisões, checklists (troca de oléo, Pneu, etc)
- Logins e lembretes de senha (sou paranoica,  não escrevo as senhas completas hahaha)
- Projetos - Se você não os tiver em outro lugar
- Financeiro - Resumo mensal ou planejamento de compras e gastos sazonais
- Notas

Deixo meu Fichário em casa. Se estou na rua, anoto no inbox e passo pra ele quando chegou em casa, ou na próxima revisão semanal.

Pra mim, o Control Journal é importante, não só como forma de controle, mas também como forma de registro. Você pode acrescentar coisas pessoais nele, principalmente do dia a dia em família. No final do ano, caso precise, você pode retirar as páginas e agrupá-las para arquivar.

Para quem já faz algo do tipo, seria muito bom compartilharmos as ideias, pois podemos aprender mais, ao mesmo tempo que podemos inspirar aquelas que ainda não possuem.

Vou deixar dois links para vocês: Um é aqui do blog, onde apresento meu CJ. Outro é do blog da Fly Lady, explicando o que é e como montar um CJ.

http://casinhadetaipa.blogspot.com.br/…/planner-da-casa-meu…

http://flyrobrasileira.blogspot.com.br/…/control-journal.ht…

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

GTD - parte 3



Continuando a série GTD

Refletir
Agora que vocês já organizaram suas ideias, pensamentos, tarefas e desejos nas listas básicas do GTD, para que o sistema realmente funcione é preciso revisá-las regularmente, sendo a revisão semanal a mais importante delas.

Na revisão semanal, você dedica um tempo a revisar o seu sistema, processando os itens não coletados, definindo as prioridades para a semana seguinte, avaliando o andamento (e existência) dos seus projetos.

Atualmente minha revisão semanal obedece as seguintes etapas

  • Coleta de papéis e informações
  • Processar (esclarecer) as capturas ainda não processadas
  • Organizá-las nas listas
  • Revisar as listas e vê se já concluí alguma ação, ou se posso tomar uma atitude em relação a elas (Ex: tenho uma lista de atividades para fazer nos feriados. Se a semana seguinte tem algum, vejo o que pode ser feito no dia)
  • Revisão do calendário anterior (para ver se ficou algo pendente ou para remarcar) e do calendário da semana seguinte
  • Revisão da lista de aguardando resposta – hora de cobrar a alguém?
  • Revisão dos projetos: ver se dá para realizar alguma ação ligada aos projetos, se algum deles precisa mudar de rumo, ou simplesmente deixar de existir
  • Revisar seus check lists semanais/mensais (ou seu habit tracker). Assinalar o que fez, e colocar entre as tarefas o que for preciso
  • Revisar a lista de algum dia/talvez – o mesmo pensamento em relação aos projetos

Junto minha revisão semanal com o planejamento da semana, então meu check list no momento está assim:

  1. Decoro ou faço o Layout da semana
  2. Reviso o calendário (vejo o que ficou pendente e o que tem para próxima semana)
  3. Reviso as listas do GTD – Próximas ações, aguardando resposta, projetos e algum dia talvez
  4. Passo as tarefas “datadas” para o planejamento semanal
  5. Organizo a lista de tarefas da semana (o que tem que ser feito durante a semana, e o que pretendo fazer. Aqui já coloco as atividades da missão semanal da Fly Lady)
  6. Faço inventário da despensa e do freezer
  7. Vejo a lista de receitas que quero testar (ainda está pequena), e escolho uma
  8. Planejo o cardápio
  9. Organizo a lista de compras da semana (baseada no que tenho na despensa e no que quero fazer)

Antes eu colocava as tarefas domésticas que estavam na rotina semanal dentro das tarefas semanais. Fiz isso para solidificar o hábito. Agora que já virou hábito pra mim, nem check list semanal faço mais.

À medida em que você vai fazendo sua revisão semanal, outras ideias vão surgindo. Você pode aproveitar que está com a mão na massa, processá-las e organizá-las de pronto, ou deixar para a revisão, seguinte, aproveitando para amadurecer a ideia.

Engajar

O termo usado na edição anterior do livro era “executar”. Para esta edição, David Allen trocou pelo termo Engajar, pois cada tarefa ganha um significado dentro do seu planejamento. Depois de implementar o GTD, cada tarefa do seu planejamento semanal está ali porque é importante de aconteça naquela semana, bem como é importante para que você possa avançar em seus projetos, pessoais ou de trabalho.

Com a implementação do GTD, você terá uma visão de conjunto de suas tarefas e projetos, o que vai te permitir aproveitar melhor seu tempo e sua energia. Por exemplo, você está na espera médica, com tempo ocioso, ocasião perfeita para dá uma olhada na sua lista de próximas ações e ver o que pode ser feito naquele momento: Responder a um e-mail simples, pesquisar preço de algum produto (isso se você tiver acesso à internet), ou dar um telefonema.

O GTD aumentou em muito minha produtividade diária/semanal, mas principalmente na definição clara de meus objetivos futuros, e na minha visão e missão pessoal. Os cincos passos vão te ajudar a aumentar sua produtividade, e consequentemente sua satisfação pessoal. Porém é importante avançar no método, para o estudo dos níveis. Para isso, recomendo em primeiro lugar ver os textos sobre GTD no Vida Organizada, pelo tempo e pela propriedade que a Thais tem para falar, já que é certificada pelo próprio David Allen.

Quaisquer perguntas deixem aqui nos comentários. Segue alguns links para vocês:


terça-feira, 24 de janeiro de 2017

GTD - Parte 2

Vamos à segunda parte da nossa série sobre GTD. Hoje vamos ver o segundo e terceiro passo inicial.

ESCLARECER  

A segunda etapa do método GTD é o processamento da caixa de entrada. Esse é o momento em que você vai esclarecer o que significa cada item que você colocou em seu caderninho, em sua caixa de entrada física, ou está na sua caixa de entrada do e-mail.
É importante que você esteja com a mente relaxada, porém em pleno funcionamento, pois você precisará tomar uma decisão para cada item que está em sua caixa de entrada, fazendo para isso algumas perguntas. 

"O que é isto?
Demanda algum tipo de ação?
Se NÃO
- Lixo – Delete, recicle, jogue fora
- Incube – Não demanda ação agora, mas você gostaria de rever isso em outra ocasião, pois pode demandar futuramente
- Arquive – Guarde em seu arquivo de referência
Se SIM
- Faça na hora – Se levar menos de 2 minutos
- Delegue – Se você não for a melhor pessoa para fazer isso (e tiver para quem delegar)
- Adie – Para fazer o mais breve possível"
(Fonte: http://vidaorganizada.com/gtd-passo2-esclarecer/)

Se você tiver feito a captura em um caderninho, você pode marcar ao lado com uma caneta colorida, o que se trata de tarefa, projeto, referência, ou para futuro. Assim ficará mais fácil dividi-lo entre as listas na fase da organização.

ORGANIZAR

É o terceiro passo do GTD, onde você organiza as informações esclarecidas por você em listas. O sistema não se resume a elas, pois sempre estamos mudando, assim como nossos objetivos e planos. Porém no momento vamos focar em distribuir as informações nas listas básicas:

Calendário: Compromissos com data e horário marcado; Eventos com data estimada (revisões, das mais diversas, pagamentos sazonais, etc)

Próximas ações: são nossas tarefas! Você tanto pode deixar todas em uma única lista, como também pode distribuí-las por contexto – casa, computador, rua, telefone, trabalho...

Aguardando resposta: Aquelas ações para as quais você depende de alguém ou de algum acontecimento para ter prosseguimento.  Ter uma lista assim, ajuda você a lembrar de cobrar a pessoa pela tarefa, quando for o caso.

Projetos: Em GTD, projeto é tudo o que precisa de mais de um passo para ser concluído. Tipo, costurar cortinas novas por exemplo, você precisa Ter dinheiro > Comprar > Medir> Costurar. 

A princípio, você precisa somente fazer a lista de projetos que quer realizar. Num segundo momento, você pode definir os projetos prioritários, bem como suas etapas.

Onde aplicar: 

O método GTD não possui uma ferramenta específica para a sua implantação. Porém acho importante que todas essas listas fiquem no mesmo lugar, mesmo que você resolva andar com cópia de uma delas (eu tenho cópia da minha lista de próximas ações na pocket). Deixá-las juntas favorece a fase de revisão (que vamos ver na próxima semana), fazendo com que o sistema funcione.
Você pode usar um caderninho (ou mais) do sistema midori, uma ou mais abas do sistema argolado/discos, coleções do Bullet Journal: Vai do sistema que funcione melhor para você. E isto é muito importante: Que seu sistema esteja à mão e em uma ferramenta que você goste, pois vai ajudar você a obter a continuidade dentro do sistema.

Onde estou aplicando o método no momento:

Como vocês sabem, sou apaixonada por planners pocket (argolados), sabem por quê? Porque eles não pesam na bolsa hahaha

Porém não dá pra ter todo o GTD dentro de uma pocket, pois quando você chega na parte de projetos, acaba escrevendo um pouco mais. Mas eu precisava ter algumas coisas comigo, para o caso de está ociosa e poder consultar minha lista de próximas ações e vê o que poderia realizar dela no momento.  

Outra coisa que acontece comigo, é que para lembretes com hora marcada, preciso da ajuda da tecnologia, senão acabo passando do horário.

Então, tive que mesclar papel e tecnologia  para fazer que meu sistema funcionasse:

Calendário: Uso a visão mensal do Acraft, mas meu calendário funciona mesmo no Google Calendar. Lá posso separar as agendas: pessoal, família, trabalho, como também compartilhar com meu esposo, que usa basicamente o Google Calendar.

Próximas ações e Aguardando resposta: Tenho cópia da primeira na Pocket, mas a principal está no App Tick Tick. O aplicativo permite adicionar lembretes às tarefas, o que é muito bom para pessoas esquecidas como eu.

Projetos: Esses estão no papel, pois gosto de escrever e às vezes desenhar um pouco. No momento estão ocupando meu Moleskine, mas pretendo transferi-los para aquele A5 que encomendei no Ali, sabe Deus quando.

Vamos parar por aqui para que vocês absorvam as informações. Para quem quiser ler mais , deixo os links para o Vida Organizada. 

Segue também a imagem do Workflow do GTD, também do Vida Organizada. Nela você pode visualizar a etapa de organização em resumo. (A imagem pertence também ao Vida Organizada).



segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

GTD

Hoje vamos falar um pouco sobre o GTD e como ele vai te ajudar na sua organização pessoal e profissional

O GTD, sigla para o termo Getting Things Done (em português A Arte de Fazer Acontecer), é um método de produtividade pessoal idealizado por David Allen. O livro base do método é “A arte de fazer acontecer”. O Objetivo do método é que você possa conseguir aumentar seu foco nas tarefas, a partir do momento em que você tira do pensamento as preocupações relativas às tarefas futuras. Isso vale não só para as tarefas de trabalho, mas pode (e deve) ser utilizado para outras áreas da sua vida.

Uma ideia que David nos apresenta é que devemos ter a “mente clara como água”. Isto é, você deve ter consciência de que todas as suas tarefas, ideias, preocupações e reflexões, estão em um lugar seguro, onde não serão esquecidos. A partir de então, você terá a mente livre para se dedicar às tarefas e projetos, como também não precisar fazer nada, já que você saberá o que não está fazendo.

Para isso ele propõe cinco passos para começar a colocar em ordem sua vida (os termos em parênteses se referem aos termos da Edição antiga):

- Capturar (Coleta)
- Esclarecer (Processamento)
- Organizar (Organização)
- Refletir (Execução)
- Engajar (Revisão)

Vamos ver o método com mais detalhes ao longo das próximas semanas. Hoje vamos começar com o 1º passo: Capturar

Capturar: é a fase inicial do método. O objetivo aqui é capturar tudo o que chegar até você: e-mails, papéis, correspondências, pendências, ideias (inclusive aquelas que surgem quando você está no banho), To Do, itens a comprar, desejos, sonhos, etc. Pegue um caderninho bonito, ou aquele bloco que você até hoje não teve coragem de usar, e vá anotando tudo o que vem à sua mente. Uma caixa de entrada, que pode até ser feita com papelão e forrada com contact, ou adquirida, que possa servir de caixa de entrada física para papéis soltos. No caso do caderno, o ideal é que seja um caderno/caderneta de fácil manuseio, pois você precisará levá-lo com você sempre. São outras ferramentas de captura, aplicativos de notas, e-mails, mensagens de texto...

As ferramentas de capturas devem está sempre a mão (ao menos uma delas), para o sucesso da implantação do método. Hoje eu não me vejo sem minhas caixas de entrada. Se eu não anotar eu esqueço mesmo!

Hoje em dia eu tenho mais de um ponto de captura, pois nem sempre dá para abrir a bolsa e pegar o caderninho. No momento estou usando:

• Aba de Notas da pocket
• Caderninho A.Craft
• Aplicativo de Notas no celular
• Capturas de tela (Você vê algo importante na net e não tem como anotar o site ou Instagram, tire foto da tela e veja depois)
• Bloco de notas da cozinha

No livro, o David recomenda uma primeira grande captura para quem vai começar o método. Ele também tem uma lista de “gatilhos” para lhe ajudar no processo. Como eu li o livro quando já fazia uso do método, ainda não parei para realizá-la (o David recomenda de algumas horas ou dias para terminá-la). Se você estiver com tempo (de férias por exemplo), pare um dia ou uma tarde para colocar no papel tudo o que passa em sua mente. Sem pressa e sem pressão.
Semana que vem veremos a etapa seguinte. Por hora, escolham um caderninho e vão anotando tudo que vier a sua mente. No próximo post veremos o que fazer com isso.

Olha isso aqui também...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...